FOSSE

fosse_b_pic2Bob Fosse nasceu numa família norueguesa. Ele era o caçula de seis filhos. Sua carreira com a dança começou ainda muito jovem, quando seu pai o ensinou a dançar dança de salão. Sua mãe foi uma dançarina “burlesca”, uma espécie de dançarina de cabaré e cantora de revistas musicais.

Fosse começou a ter aulas de dança na Escola de Ballet Frederick Weaver onde aprendeu a sapatear e dança acrobática. Com 13 anos foi dançar com Charles Grass, outro jovem dançarino, e colaborou com a peça “The Riff brothers“. Eles se apresentaram em vários teatros na área de Chicago. Em menos de três anos, o grupo estava tendo um bom salário por semana e Fosse já estava coreografando e escrevendo diálogos cômicos aos 15 anos. Sempre ambicioso, Fosse se mudou e estava trabalhando em séries de pequenos atos. Essa foi uma das ajudas para ele coreografar seu primeiro número, envolvendo quatro garotas com plumas, para o musical “Cole Porter“.

Em 1945 ele se formou na Escola Secundária de Amundsen, em Chicago e começou um trabalho dançando no show “Dura situação“, no qual se apresentou para bases militares e navais no Pacífico. Depois disse que aperfeiçoou sua técnica como performer, coreógrafo e diretor enquanto estava servindo seu dever. Primeiramente apareceu em filmes como: “Give a girl a break“, “The Affairs of Dobie Gillis” e “Kiss me, Kate“, todos três realizados em 1953.

Um ano depois ele trabalhou com coreógrafo nos seus primeiros shows da Broadway, “O Jogo do pijama” em 1954 e “Malditos yankees“, no qual ele conheceu a atriz Gwen Verdon que viria a ser sua esposa.

Fosse desenvolveu um estilo de dança de Jazz que foi imediatamente reconhecido e caracterizado por seu ar sensual. Outras distinções notáveis eram seus joelhos internos, ombros arredondados e isolações do corpo. Com a influência de Fred Astaire ele usou como acessórios chapéus côco, barras e cadeiras. Ele começou a ficar careca aos 17 anos, por isso começou a usar chapéus em suas apresentações e também porque não gostava de suas mãos. Sua rotina de dança era intensa e alguns de seus números mais conhecidos incluem “Steam heat” de “The Pajama game” e “Hey big spender” de “Sweet Charity“.

Aclamado no teatro, onde foi várias vezes premiado, Bob Fosse ganhou também no cinema um Oscar em 1972 pelo filme “Cabaret“, além de v´rias homenagens na TV pelo especial com a atriz e cantora Liza Minelli, “Liza com Z“. As filmagens de “Cabaret” tiveram uma característica específica: lembravam Vaudeville e burlesque.

Em 1986 ele coreografou, dirigiu e também escreveu o musical “Big deal“. Ele ganhou muitos prêmios por seus trabalhos, entre eles estão o Tony Awarde um Emmy. Ele foi a primeira pessoa a ganhar os três mais importantes prêmios no mesmo ano.

Seu musical “All that jazz” de 1979 ganhou a Palma de Ouro em Cannes e foi indicado para quatro Oscar. Esse filme foi uma autobiografia sem compromisso.

Bob Fosse morreu aos 60 anos, vítima de um enfarto, em Washington, onde estava para apresentar o espetáculo “Sweet Charity” no Teatro Nacional de Washington.

Ele se casou três vezes: com Marian Niles, depois com uma dançarina de nome Joan McCracken e por último com a atriz Gwen Verdon com a qual teve uma filha, Nicole Providence Fosse, que também é dançarina.

Retirado de:http://pt.wikipedia.org/wiki/Bob_Fosse#Pe.C3.A7as_e_Filmes

Postado por,

Camila T. Carvalho

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: